OPERAs – Operational Potential of Ecosystem Research Applications  

Contexto

 

Os ecossistemas proporcionam à humanidade uma grande diversidade de recursos, bens e serviços. No entanto, o ritmo a que os consumimos e exploramos está a aumentar tão rapidamente que muitos dos principais ecossistemas têm as suas funções, vitais para suportar a existência da humanidade, ameaçadas. Os serviços dos ecossistemas (SE) e o capital natural (CN) são dois elementos-chave estruturantes que fornecem orientações para uma melhor gestão e preservação dos nossos ecossistemas. Estes conceitos – SE e CN – têm sido adotados em quadros políticos superiores. Todavia, há uma grande diferença entre o conhecimento científico sobre ecossistemas e a aplicação prática deste conhecimento na formulação de políticas e nos processos de gestão e tomada de decisão. O projeto OPERAs explora se, como e em que condições estes conceitos podem ir além do domínio académico e ser implementados na prática apoiando uma gestão sustentável dos ecossistemas.

 

 

Envolvimento dos stakeholders

 

Os serviços dos ecossistemas são os benefícios que as pessoas obtêm da Natureza. Assim, para que os serviços dos ecossistemas tenham significado, é necessário que os investigadores envolvam os stakeholders. Porém, identificá-los de forma adequada e envolvê-los de forma efetiva pode ser um desafio. O envolvimento dos stakeholders é uma componente fundamental do OPERAs e em cada um dos 12 casos de estudo (designados por exemplars) têm sido envolvidos de diversas formas.

 

Exemplars – locais de ensaio para a aplicação dos Instrumentos

 

Os exemplars são um conjunto de casos de estudo cuidadosamente selecionados que cobrem uma ampla gama de SE de diversas escalas, áreas e sistemas de gestão. Estes exemplars constituem laboratórios vivos contribuindo com novos conhecimentos acerca das necessidades daqueles que aplicam os conceitos de serviços dos ecossistemas no terreno, e funcionam como locais de ensaio onde os respetivos instrumentos podem ser testados.

 

Um destes casos de estudo – a paisagem cultural do Montado – está a ser desenvolvido em Portugal no contexto da região LTER (Long Term Ecological Research www.lterportugal.net) do Montado, focando-se na sua conservação. O Montado é uma forma única do sistema agro-silvo-pastoril endémico da bacia do Mediterrâneo que se centra no sobreiro: Quercus suber. É um sistema complexo e produtivo de elevada relevância ecológica e socioeconómica, sendo um dos setores que mais emprego cria em Portugal, mas está sob intensa ameaça devido à ausência de manutenção.

 

Visando melhorar a sua gestão e ajudar a facilitar a sustentabilidade do Montado para as gerações vindouras, neste projeto tem-se trabalhado em conjunto com os proprietários e os gestores dos sistemas de Montado no desenvolvimento de cenários e criação de mapas de SE assegurando uma interação permanente, ativa e direta dos principais stakeholders do Montado. Têm sido realizados workshops com estes e outros stakeholders como empresas, organismos públicos, organizações não-governamentais de ambiente para compreender as suas perceções sobre o Montado e valorização deste tipo de ecossistemas.

 

Plano de Trabalho

 

O OPERAs desenvolve-se para além da componente de Prática, onde se trabalha em conjunto com os stakeholders para avaliar e valorizar os serviços dos ecossistemas. O Plano de Trabalho do OPERAs abrange também as componentes de Conhecimento e de Instrumentos, facilitando a troca de informação entre todas, e de Disseminação:

 

  • Prática – funciona com base numa variedade de ecossistemas, em casos de estudos “exemplares”, transformando em prática os serviços dos ecossistemas e capital natural.

 

  • Conhecimento – produz, aperfeiçoa e integra a ciência de vanguarda sobre serviços dos ecossistemas em políticas e práticas.

 

  • Instrumentos – fornece aos stakeholders ferramentas e instrumentos acessíveis que lhes permitam aplicar os conhecimentos científicos sobre os serviços dos ecossistemas na sua área de trabalho.

 

  • Disseminação – envolve os stakeholders dos setores científico e político e profissionais da área na construção de uma comunidade centrada nos seus resultados.

 

  • O Centro de Recursos – desenvolve uma plataforma aberta para a colaboração entre as comunidades científica, política e de prática. Esta plataforma online reúne soluções inovadoras baseadas na Natureza de toda a Europa.

 

 

Este projeto recebeu financiamento do Sétimo Programa-Quadro da União Europeia para a investigação, desenvolvimento tecnológico e demonstração, sob acordo de subvenção número 308393.

 

Em Portugal, é coordenado pelo cE3c - Centre for Ecology, Evolution and Environmental Changes, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

 

Para mais informações visite o website www.operas-project.eu.

 

 

Equipa

 

Margarida Santos-Reis, Lia Vasconcelos, Ursula Caser e Inês Rosário

 

Colaboradores: Cristina Máguas, Filipa Ferro, Leonor Almeida, Maria João Branco, Márilisa Coelho, Nuno Ramos, Paula Gonçalves, Pedro Pinho, Rui Santos, Rui Rebelo, Sueli Ventura, Vanice Selva

Relatórios

Relatório do 1º Workshop Participativo

Relatório do 2º Workshop Participativo

O OPERAs é um projeto de investigação europeu que visa colmatar o hiato entre a ciência dos serviços dos ecossistema e a sua aplicação prática. Integrando cientistas, investigadores e profissionais de 27 organizações diferentes, este projeto foca-se no valor do capital natural e nos serviços providenciados pelos ecossistemas e visa mobilizar e capacitar os stakeholders para a aplicação destes conceitos na prática.
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now